A companhia é assim: natural, espontânea, genuína, pura, feliz. Ela não prende, não obriga, não cobra, não reclama, não quer possuir.

Não adianta planejar, fazer listas e querer moldar o outro. Um ser humano não é um projeto pra sua vida.

O ser humano é o projeto da própria vida dele.

Ele é dele.

Tem vida própria (ou deveria). Tem sonhos, vontades, manias.

É impossível possuir pessoas. Pessoas não são números.

Tentar dominar um ser humano pode ser até possível mas com a garantia de que vai ter um mau humor eterno do seu lado.

O máximo que você pode fazer é oferecer a sua companhia e se beneficiar da companhia do próximo (se quiser).

Escrito por Sarita Deoli

Baiana, advogada e estudante de Psicologia e Psicoterapia Holística. Criou o Trago o Sol em 2017 para conversar sobre as relações do ser humano consigo mesmo e com o mundo. Acredita no valor do autoconhecimento e do conhecimento em si. Tem mais esperança do que antigamente e insiste que não está aqui só de passagem.

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: